editor

Prefeito entrega reformas de Marquise do Ibirapuera e homenageia Niemeyer

Decrease Font Size Increase Font Size Text Size Print This Page

Desde sua inauguração, em 1954, essa é a primeira vez que toda a estrutura da Marquise do Ibirapuera, obra de Oscar Niemeyer, com 26 mil m² de extensão, passa por uma reforma estrutural completa.

O prefeito de São Paulo reinaugurou na manhã desta sexta-feira (14) a Marquise José Ermírio de Moraes. Considerada a mais famosa cobertura de concreto da Capital, a obra foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer e construída no Parque do Ibirapuera.

 

 

Segundo o prefeito, a reabertura da Marquise significa a volta de um dos espaços mais queridos da Cidade, além de também ser uma homenagem ao arquiteto da obra. “Esse é um dos espaços públicos com a marca do Niemeyer. Além de estarmos devolvendo esse espaço para a população, é uma oportunidade que temos de mais uma vez lembrar o quanto o trabalho do Niemeyer foi importante para o país”, destacou o prefeito.

 

Desde sua inauguração, em 1954, essa é a primeira vez que toda a estrutura da Marquise, com 26 mil m² de extensão, passa por uma reforma estrutural completa. Segundo a Secretaria de Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb), a recuperação abrangeu reparos em toda a estrutura da marquise, troca da rede elétrica e do piso, reparação da rede hidráulica, impermeabilização da superfície da estrutura, manutenção dos banheiros, pintura e nova iluminação com LED (Light Emitting Diode), especialmente desenvolvidas para a Marquise. As lâmpadas proporcionam economia elétrica, têm maior vida útil e reduzem o tempo de manutenção do sistema, que utiliza luminárias iguais ao do projeto original de Niemeyer.

 

 

“Eu estive aqui com o meu avô diversas vezes na luta de tentar conseguir com que todo esse parque fosse recuperado. Hoje, tenho certeza que ele deve estar muito feliz de saber que eu estou aqui nessa reinauguração”, disse o neto de Oscar Niemeyer, o fotógrafo Kadu Niemeyer.

 

Iniciada em abril de 2010, a obra custou R$ 14,6 milhões e teve o projeto desenvolvido pela Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), sendo aprovado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental de São Paulo (Conpresp)  com execução da Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras – Siurb. Além disso, foram preservadas todas as características originais do projeto, que é tombado pelo Departamento do Patrimônio Histórico da Cidade (DPH)“A reforma da Marquise marca o esforço da Prefeitura em reformar o parque inteiro. Fizemos melhorias em vários pontos, entre eles, nos jardins, no Departamento de Educação Ambiental, Praça da Paz, lago, ciclovia, Oca, Escola de Astrofísica, Planetário, brinquedos, asfalto e calçadas. Colocamos nova sinalização e cadastramos todas as árvores”, explicou o secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente.

 

 

Convivência

 

Após a reinauguração, o vão da Marquise agora tem novas regras de utilização e convivência, formuladas em conjunto com a Confederação Brasileira de Skate, Associação Mundial de Freestyle e Skateboard, e representantes de patinadores do parque. O objetivo é garantir a segurança dos usuários, como também preservar a manutenção do espaço, contando com a colaboração de todos os frequentadores para cuidar da Marquise e disseminar a prática da cidadania entre pedestres, ciclistas, skatistas e patinadores.

 

Com a reinauguração, agora os pedestres são orientados a circular pelas extremidades da Marquise. Já os ciclistas deverão usar o local apenas para travessia, dando prioridade para a utilização da ciclovia e ciclofaixa do parque. Skatistas e patinadores poderão praticar suas modalidades de segunda a sábado, em áreas demarcadas na Marquise. Aos domingos e feriados, a prática dessas atividades será permitida até as 12h e após as 18h, também nas áreas sinalizadas. A prática de longboard está permitida na ladeira do Bosque das Araucárias e Alameda do Lago, localizado próximo ao portão 10.

 

crédito da foto – Fábio Arantes/Secom

 

100 Parques para São Paulo

 

Durante a reinauguração da marquise do Parque do Ibirapuera, o programa 100 Parques para São Paulo também foi lembrado. O projeto tem como objetivo garantir o maior número de áreas disponíveis e transformá-las em parques, proporcionando a ampliação das áreas de lazer e contato com a natureza.

 

Em 2005, São Paulo contava com 34 parques públicos. Hoje, a cidade conta com 91 áreas verdes. Já os outros nove devem ser entregues até o final do ano. Em área verde, esse número representa um aumento de 15 milhões de m² – de 30 para 45 milhões de m². Além disso, 60 áreas já estão em processo de desapropriação, onde novos parques poderão ser implantados na próxima gestão.

Print Friendly

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *